SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO A PARTIR DE CASA EM TEMPOS DA COVID-19

SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO A PARTIR DE CASA EM TEMPOS DA COVID-19

A COVID-19 é a designação dada pela Organização Mundial da Saúde para identificar a doença provocada pelo novo coronavírus SARS-CoV-2. Este novo coronavírus foi identificado pela primeira vez em Dezembro de 2019 na China, na cidade de Wuhan. Os casos iniciais da doença COVID-19 foram associados a um mercado em Wuhan.

O mercado foi encerrado a 1 de Janeiro de 2020, mas a doença foi progredindo desencadeando uma epidemia mundial ou pandemia. SARS-CoV-2 é o nome do novo vírus e significa Severe Acute Respiratory Syndrome (Síndrome Respiratória Aguda Grave) – Coronavírus – 2.

COVID-19 (Coronavirus Disease) é o nome da doença e significa Doença por Coronavírus, fazendo referência ao ano em que foi descoberta, em 2019. Atendendo à transmissão comunitária (entre pessoas) do SARS COV 2 e ao risco de saúde pública associado, a 25 de Março de 2020 foi declarado o Estado de Emergência Nacional pelo Presidente da República, com efeito
a 27 de Março de 2020.

O Decreto presidencial 82/20 de 26 de Março determinou a adopção pelo Governo, de várias medidas extraordinárias tendentes à prevenção e ao controlo da propagação da pandemia em Angola.

O perfil de transmissão do SARS-COV-2, responsável pela doença COVID-19, ao exigir medidas de confinamento, aumentou exponencialmente a proporção de pessoas a realizarem o “trabalho a partir de casa”, principalmente em actividades económicas do sector terciário.

Neste projecto adopta-se a designação “trabalho a partir de casa”, em detrimento de “teletrabalho “ou “trabalho em domicilio” por considerar que a pandemia COVID-19 conduziu a uma ruptura e desestruturação do trabalho habitual presencial, face à situação excepcional e muito particular de emergência de saúde pública, o que inviabiliza o contexto comum de “teletrabalho contratualizado” e legislado.

As readaptações necessárias ao “novo” mundo do trabalho, impostos pela pandemia da COVID-19, terão certamente aspectos positivos, mas também negativos e com sérias consequências na saúde física e mental dos trabalhadores.

O “trabalho a partir de casa”, associa-se a um contexto familiar agradável e até desejável, mas desenvolvesse num local onde a sobrecarga de trabalho (física e/ou mental) pode ser ampliada num contexto social sem adequação (como a habitação) e pode influenciar o desempenho dos trabalhadores, Patologias como o stress relacionado com o trabalho e manifestações de ansiedade e depressão e as lesões músculo-esqueléticas relacionadas com o trabalho, podem ser desencadeadas ou mesmo agravadas, pelo aumento da carga física e mental da habitual actividade profissional.

As sobrecargas mentais estarão relacionadas ao aumento de número de horas de trabalho e a ausência de pausas, pelas responsabilidades acrescidas com a vigilância e acompanhamento aos filhos (muitos deles menores e/ou em regime de tela aulas), bem como com a necessidade de estarem confinados à habitação.

A sobrecarga física está relacionada com a inadequação do mobiliário e equipamentos de trabalho, ausência de conforto térmico e de iluminação e o ruído no ambiente de trabalho pela utilização de espaços comuns na habitação.

O trabalho repetitivo e prolongado e posturas incorrectas, extremas ou estáticas levam a sobrecarga de todo o sistema musculosquelético e podem desencadear ou agravar uma lesão pré existente a nível dos pescoço, costas, ombros e membros superiores, ou em qualquer outra parte do corpo.

O trabalho a partir de casa pelo trabalhador pode, portanto, ter vantagens para os trabalhadores e para a sociedade, mas é indispensável que o empregador seja responsável pela participação na adequação das condições de trabalho, assim como pelo fornecimento dos equipamentos necessários ao seu desempenho.

O projecto “SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO A PARTIR DE CASA EM TEMPOS DA COVID-19”, é uma iniciativa da CONSAUDE MEDICINA NO TRABALHO e visa fundamentalmente:

1) Fornecer orientações para que os trabalhadores possam adaptar e adequar uma área da sua habitação para realizar o trabalho, melhorar a organização do trabalho, a equilibrar a relação familiar com o trabalho e assim valorizar a saúde e bem estar e os momentos de trabalho em casa.

2) Realizar um inquérito on-line, em parceria com o Centro de Segurança e Saúde no Trabalho (CSST), para: Identificar as limitações à realização do trabalho habitual dos trabalhadores que estiveram ou estão a trabalhar a partir de casa e identificar estratégias que minimizem o impacto da epidemia da COVID-19 na saúde e bem-estar dos trabalhadores Angolanos e, no desenvolvimento sócio- económico do País.

Saiba mais sobre este projecto clicando no link abaixo:

shoutout.wix.com/so/f4N9LzqwN?cid=d1156dc9-7d27-473e-8d7e-20843075c12b#/main